10 de out de 2012

ADORAÇÃO de R. C. Ryle, CANTANDO AO SENHOR de Lloyd Jones

Já li livros mais extensos sobre adoração, mas não encontrei um equilíbrio bíblico entre os que eu li. Uns tendem ao exagero ortodoxo, outros para o ”liberalismo moderno”. E isso é algo comum porque o assunto causa choques até mesmo dentro de igrejas da mesma denominação.

Apesar dos extensos conteúdos dos livros que li, o que tenho de bom a indicar para vocês são dois pequenos livretos. “Cantando ao Senhor” de Lloyd Jones e “Adoração” de J. C. Ryle. Parece até proposital que livros simples sejam os melhores, e que nos exortam a uma adoração simples.

“Cantando ao Senhor” é uma exposição do capítulo 3 de Colossenses, que possui o conhecido versículo “A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.” (verso 16). Lloyd Jones afirma que não devemos fazer interpretação deste texto, lendo-o de forma desintegrada do restante do capítulo. Veja que seu contexto é a história da vida de quem se converteu. Paulo mostra os dois lados de uma vida, como você vivia antes, e como você procede a partir de agora. É como observar a vida de alguém que vivia sobre influência do álcool, que vivia antes para sua vontade, celebrava as coisas da carne, com gente que vivia na carne, mas agora celebra, canta cânticos e hinos por um novo motivo. É uma maneira de vida, e o louvor é uma expressão diária dessa alegria

 “Adoração – Prioridade, Princípios e Prática” explora mais a qualidade da adoração coletiva. E é aqui que, geralmente, torna-se um campo de guerra entre cristãos, porque envolve o como fazer. Bem... este livro ensina os princípios, não é uma fórmula de remédio manipulado.

“Certamente, a natureza, a razão e o bom senso devem ensinar-nos que há uma maneira e um comportamento convenientes ao homem mortal quando este se aproxima do Criador todo poderoso.” (pg 22).

É um bom princípio, mas é necessário que você tenha uma teologia bíblica e racional, para afirmar que tem bom senso. Caso contrário, ofenderá ao Senhor com suas invenções que você chama de “adoração”.

Outro princípio relevante é sobre aquilo que apresentamos ao Senhor. Há hoje igrejas que têm superproduções, cultos suntuosos, com todo tipo de ornamentação. Pensemos na Ceia, como exemplo, o Senhor usa coisas simples, é um pão e um vinho. Veja o Batismo, é simplesmente água “[...]e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado?” Atos 8:36. As coisas simples usadas por Jesus dão lugar ao que de fato tem que brilhar, a essência da mensagem. Da mesma forma o excesso de ornamentos pode distrair o homem, e o que mais o Senhor deseja, que é o coração, está muito distante, viajando em alguma emoção.

Este é um tema para os nossos tempos, em meio a tanta confusão, recomendo que você esteja bem fundamentado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...