9 de jan de 2013

O que estão ensinando aos nossos filhos? - Solano Portela


O tema é urgente para os professores, coordenadores, diretores, enfim, qualquer um que lide com educação neste país e professe a fé cristã. E, embora o livro use alguns termos técnicos da Pedagogia, seria ideal que os pais também se interessassem por este título. Nada que uma pesquisa no google não esclareça com nível suficiente alguns conceitos que você talvez não conheça.

Os números alarmantes das mais diversas formas de avaliação no país, não é apenas causa social/econômica. Não é apenas uma questão de investimentos público. É claro que isto também conta, mas no caule do tronco há um problema central que este livro tratará com profundidade. Problema responsável diretamente por números como este:

• 61% dos alunos do 5º ano não conseguem interpretar textos simples. 60% dos alunos do 9º ano não interpretam textos dissertativos.
• 65% dos alunos do 5º ano não dominam o cálculo, 60% dos alunos do 9º ano não sabem realizar cálculos de porcentagem.

Solano Portela faz uma abordagem dos resultados do Construtivismo na educação brasileira. Esta teoria pedagógica é largamente utilizada no sistema de ensino brasileiro de escolas públicas e privadas. É também inquestionável nas faculdades de pedagogia, pregado como se fosse modelo único e ideal, causando um verdadeiro paradoxo entre a teoria da faculdade e a realidade na sala de aula.

Entre seus males, o construtivismo tem desassociado as disciplinas uma das outras, principalmente da filosofia. Qual é o grande mal de adquirir conhecimento sem vínculo com a filosofia? Nossa filosofia, baseada na cosmovisão cristã entra em choque com a ciência, e causa uma verdadeira confusão no entendimento da criança. Deus está ausente em tudo o que ela aprende sobre física, biologia história. Logo o Deus está na igreja, mas não rege o mundo que ela conhece na escola.

Solano chama a atenção para o modo como nos comportamos quanto a isso. No geral, os cristãos fazem naturalmente essa divisão: Escola x Igreja. Ocorre que não deveriam ser agentes de disputa. O que falta mesmo é esta cosmovisão cristã permeando as disciplinas nas escolas. E, quanto à igreja, não ser passiva quanto a métodos, como o construtivismo, que tem sido base inclusive de escolas tidas por cristãs. Afinal, para ser uma “Escola Cristã” não basta ter aula de religião, não basta ter um versículo bíblico na lousa ou fazer uma oração para iniciar a aula. A proposta de Solano é uma pedagogia redentiva. Uma revolução no ensino? Nenhum esforço que não valha a pena pela boa educação dos nossos filhos, por uma ciência saudável sem conflito com o Criador de todas as coisas.

Adquira seu exemplar: Editora FIEL

Um comentário:

  1. Agradeço a gentil resenha. Eu já a havia lido há 3 anos, mas esqueci de agradecer. Deus os abençoe.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...