28 de fev de 2012

Cave mais fundo - Joshua Harris


Quando eu estava na minha transição, de adolescência para a juventude, talvez numa tentativa de ser reconhecido como um adulto e abafar meus atos de rebeldia de um “aborrecente”, enfiei-me nas leituras de teologia sistemática. Os mais velhos gostavam daquilo. Era livro pra “crente sério”. Nas aulas de EBD, sempre tinha uma resposta afiada, com um sabor de conhecimento técnico. Mas, à medida em que me ocupava com aquilo, tornei-me frio e intolerante. Reconheço que era um problema pessoal e não dos livros. Andar com bons mestres foi essencial para corrigir esse meu defeito (cabe aqui um agradecimento especial ao querido Pr. Vitor – PIBBVC).
A princípio, tive essa reação negativa, mas aqueles estudos não foram desperdício de tempo. Meus princípios cristãos são baseados no que eu aprendi sobre Deus. É isso que Joshua Harris consegue linkar com muita facilidade: Vida Cristã e Conhecimento Teológico.
Para início de conversa, Joshua afirma que, nenhum homem vive sem Teologia. Você pode não ter estudado nenhum livro, mas o seu modo de vida determina como você entende Deus. Aí cabe uma preocupação, porque se você não se interessa em conhecê-lo, seu proceder estará desalinhado com o que Deus realmente é.
Soterologia, Bibliologia, hamartiologia entre outros temas dos livros exegéticos, pode ser entediante para algumas pessoas. Mas Harris faz isso de um modo tão cativante, que você não perceberá o tempo passar quando estiver lendo (quem já leu Garoto encontra Garota sabe do que estou falando). Quando ele fala dos atributos de Cristo, por exemplo, faz um panorama rápido dos erros de alguns pensadores sobre a sua humanidade/divindade, depois são páginas que, palavra após palavra nos fazem desejar ardentemente, um relacionamento pessoal com Ele. Ora, isso não é mais importante do que o conhecimento técnico?
Outra parte que trata de bibliologia, Joshua usa uma ilustração de Josias e o filho dele, Jeoaquim. Quando Josias achou o livro santo no templo, ele rasgou suas vestes, em reconhecimento de que precisava rasgar sua vida, para ser mudado pelo livro (II Reis 22). Ao passo que Jeoaquim quando ouvia a leitura do livro, tomou-o, rasgou e o jogou na fogueira (Jeremias 36). Ler Apocalipse 22:18-19 (não acrescentar nem diminuir nada ao livro santo) faz muito mais sentido, quando procuramos compreender a disposição do coração do homem. Afinal, para Harris, rasgar o livro é um ato de desprezo, e pode ser praticado pela indiferença ou omissão. Percebe? Não é apenas o conhecimento técnico em questão, é a prática na vida cristã que Harris privilegia.
Esse é um livro que você precisa ter. A Editora FIEL cedeu o 1º capítulo gratuitamente em E-book: (Clique Aqui para ver)
Loja virtual: Editora FIEL

3 comentários:

  1. Que boa indicação, Celso. Vida cristã está bem mais relacionada com um coração voltado do que com uma mente saturada de informação (que é tb é importante, mas não o principal). Claro, é pela Palavra que se molda o coração, por isso não menosprezemos o estudo da revelação deixada por nosso Deus. Quero ler!

    ResponderExcluir
  2. Este livro está na minha lista de leitura de 2012.....vou esperar para comprar na Fiel de Jovens. Concordo com tudo que vc escreveu....nossa estilo de vida é o reflexo da nossa crença....muitos vivem como filhos mimados porque crêem num deus que na verdade não passa de um bonachão que tem que satisfazer os caprichos de seus "príncipes herdeiros".

    ResponderExcluir
  3. Boa observação Ana Paula... Suponho que haverá um bom desconto na Conferência FIEL.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...